1/2

Paulistana e apaixonada pelo corpo humano, Gabi cursou medicina por 4 anos, até que o ímpeto de se expressar artisticamente falou mais alto e, assim, iniciou sua trajetória no mundo das artes.

 

Começou com a pintura, criando mulheres caveiras levemente eróticas, onde a caveira representava a agressividade que protege o frágil e complexo feminino, revelando-o, assim, sensual e forte. Inspirada por uma mistura de arte, medicina e filosofia de vida que traduzem com singularidade seus melhores atributos e suas mais fortes influências.

 

Após ter conquistado seu espaço como artista plástica, Gabi inesperadamente foi presenteada com uma máquina de tatuar e, assim, se apaixonou por mais essa nova forma de expressão, da qual nunca mais largou. Segue um estilo de tatuagem com temas orgânico-geométricos, de linguagem tribal-contemporânea.

“Apesar de ser tatuada e adorar tatuagem, eu nunca tinha pensado em ser tatuadora, mas assim que ganhei a máquina, foi paixão à primeira vista!

 

É muito interessante poder fazer arte no corpo das pessoas. Remete a um espírito ancestral tribal de querer marcar o corpo para se diferenciar e exteriorizar suas crenças ou sua posição social para o mundo. Posso dizer que tatuar me preenche em vários aspectos, pois representa um resumo das minhas experiências de vida na medicina e na arte. Continuo fazendo arte, lidando com pessoas de forma íntima e trabalhando com o corpo – que sempre me fascinou.”

REDES SOCIAIS

  • Instagram Black Round
  • Pinterest Black Round
  • b-facebook
  • Flickr Black Round

APENAS ASSUNTOS REFERENTES A JOALHERIA.

NÃO SERÃO AGENDADAS TATUAGENS

ATRAVÊS DESSE CONTATO

  AGENDAMENTOS  TATTOOS